537 virandojogo header.original

Virando o Jogo, Mudando Vidas

O propósito do projeto é incluir as pessoas em situação de rua, no mercado de trabalho. Dar uma oportunidade para elas voltarem ao controle das suas vidas, trabalhando de forma digna e se desenvolvendo profissionalmente e pessoalmente.

R$100
arrecadados por mês

3
pessoas apoiam

Apoiar

O QUE É?
Todo ser humano deveria ter um teto para morar, comida para se alimentar, um trabalho digno para sobreviver. Nenhuma pessoa deveria pedir esmolas, dormir nas ruas, com calor, chuva, frio e medo, em meio ao desprezo e a indiferença de uma sociedade e de um Governo que fecham os olhos para este problema. Basta!

Eu estou aqui porque sempre me sensibilizei com a situação dos moradores de rua e frequentemente me questionava o quê eu poderia fazer para ajuda-los. Mas eu não queria proporcionar um alivio temporário para eles, eu sempre quis fazer algo para tirá-los daquela situação vulnerável para sempre. Virar o jogo na vida daquelas pessoas, dando uma oportunidade para elas reconstruírem o seu futuro.

O meu propósito é incluir as pessoas em situação de rua, no mercado de trabalho. Dar uma oportunidade para elas voltarem ao controle das suas vidas, trabalhando de forma digna e se desenvolvendo profissionalmente e pessoalmente.

O projeto Virando o Jogo – Mudando Vidas oferece suporte profissional e encaminhamento para providenciar documentos como RG, CPF e Carteira de Trabalho para moradores de rua que querem conseguir um emprego. As histórias dos moradores de rua são delicadas e muitas vezes tristes, cada caso tem seus próprios desafios e são únicos.

COMO FUNCIONA?
Uma vez que nós conquistamos um morador de rua e ele aceita a nossa ajuda, nós começamos o trabalho de recolocação no mercado. Isso é feito em etapas. Temos um programa completo já desenvolvido que inclui:
• Diagnóstico do perfil psicológico e profissional da pessoa, histórico médico e de dependência química, levantamento de pendências jurídicas, encaminhamento para cursos e oficinas profissionalizantes.
• Depois nós fazemos o currículo e treinamos cada pessoa para as entrevistas de emprego.
• Quando a pessoa é recolocada no mercado, nós ainda fazemos um acompanhamento em todo o período de experiência junto com o empregador e com a própria pessoa.

QUE TAMANHO ESSE PROJETO PODE TER?
Segundo o CENSO do IBGE (2013), os moradores de rua representam cerca de 1% da população brasileira, ou seja, cerca de 2 milhões de pessoas vivem nas ruas. É um dado alarmante.

O Virando O Jogo acontece em São Paulo capital como um projeto piloto. Nós trabalhamos com moradores de rua em todas as regiões da cidade, não importa o local. Se tivermos acesso às pessoas e conseguimos nos locomover, nós vamos.

O objetivo é simples: tirar as pessoas das ruas e dar uma nova chance de vida a elas. E isso tem que acontecer em qualquer lugar, mas como somos apenas duas pessoas batalhando pelo projeto, temos limitações e por isso estamos aqui para pedir a sua ajuda. No futuro queremos atender o Brasil inteiro e não apenas São Paulo.

O QUEFOI CONQUISTADO?
Durante 2 meses em 2014, realizei o projeto de forma totalmente voluntária, e consegui ajudar 10 moradores de rua, sendo que 4 deles já foram recolocados no mercado! Olhando para esse número de sucesso, e tentando viabilizar o projeto de forma mais sustentável, com a a ajuda da empresa CO-VIVA, lancei uma campanha de financiamento coletivo no Catarse no final de 2014. Lá conseguimos o apoio de 117 pessoas e arrecadamos um total de R$ 6.785! Fiquei muito feliz e realizada! Essa quantia em dinheiro será usada para ajudar 8 moradores de rua, conforme prometido na plataforma. Porém, estamos sentindo dificuldades, pois alguns participantes precisam de mais ajuda do que tínhamos previsto, por exemplo: lugar para tomar banho, dinheiro para transporte para providenciar a documentação necessária, dinheiro para se locomover ao local das entrevistas, produtos para banho, roupas, comida, etc.

Agora estamos numa outra fase do projeto, buscando ajuda recorrente, podendo assim ajudar moradores de rua de forma constante. Eu não posso fazer isso sozinha, por isso estou aqui pedindo a sua ajuda!

COMO SERÁ USADO O DINHEIRO ARRECADADO?
- Documentos: muitos moradores de rua perderam os seus documentos como RG e carteira de trabalho. Como buscamos empregos fixos e com carteira assinada, para ter garantia que essa pessoa poderá mudar de vida de forma satisfatória, é necessário colocar todos esses documentos em dia!
- Psicólogo: anos de isolamento social podem acarretar, ou ser provocados, por padrões de comportamento. Precisamos de psicólogos especializados nesse assunto para ajudar essas pessoas a refletirem e mudarem alguns padrões, podendo assim ter sucesso no emprego novo e na vida nova.
- Profissional de RH: é necessário montar o CV do morador de rua, cadastrar em sites de RH, mandar para vagas em empresas, criar parcerias com empresas que estejam dispostas a dar uma chance para essas pessoas, agendar entrevistas, treinar o morador de rua para a entrevista, ufa! Tudo isso leva tempo e precisamos de alguém disposto a botar a mão na massa!
- Roupas: é necessário roupas limpas para participar de entrevistas e ter mais chances de ser aceito. Algumas roupas ganhamos de doações, porém algumas específicas (como sapatos) temos que acabar comprando.
- Kit Higiene: Banho, corte de cabelo, corte de unhas, etc. Por sentar muito no chão, e se molhar com a chuva, o visual dos moradores não é dos melhores. E muitas vezes eles acabam até tendo cheiros particulares. Eliminar todas as pendências fará com que a sua confiança aumente, que ele sinta vontade de estar ao redor de outras pessoas e ele possa ter mais sucesso na entrevista. Coisas simples que contam muito!
- Pendências Jurídicas: muitas vezes, pessoas entram em situação de rua por terem adquirido uma dívida financeira que não conseguiram pagar. Precisamos de advogados para tratar desses assuntos e resolver essas pendências. Com emprego fixo, as vezes torna possível pagar a dívida de forma parcelada.
- Transporte: precisamos também transportar os moradores de rua até o Poupa-Tempo e as entrevistas. Todos sabemos quanto custa o transporte público em São Paulo, e que a tarifa aumentou!

QUEM SOU EU?
Meu nome é Caroline, sou engenheira, mestre em Administração de Empresas e atuo na área de RH há mais de dez anos. Hoje tenho uma consultoria, mas meu desejo seria trabalhar integralmente neste projeto, pois não existe satisfação maior do mundo!

Além de voluntários queridos que me ajudam a desenvolver as mais diversas atividades, também conto com o apoio da CO-VIVA, uma empresa de inovação de negócios, que atua com projetos de inovação social e colaboração e que acredita no projeto Virando o Jogo – Mudando Vidas.

OBRIGADA!
Se vc acredita que toda pessoa tem um talento, e que ele só precisa achar um lugar para ser empregado, me ajude a mudar a vida de moradores de rua, para que eles possam redescobrir os seus talentos!

Apoiar